menu logo

tamanho do texto:

Grande Rota 01 - Etapa 2: Fajã dos Vimes – Fajã dos Cubres

Tipo: linear
Dificuldade: difícil
Distância: 15Km
Duração: 6h
Altitude (Min / Máx): 7m / 672m

 

Como Chegar

Saindo da Vila da Calheta, siga a Estrada Regional 2-2 até ao Centro de Saúde da Calheta e vire à sua direita para o “Topo”. Ainda na Estrada Regional percorra cerca de 3 quilómetros em direção este até junto da Bomba de Gasolina. Vire à sua direita em direção Fajã dos Vimes e faça a descida até ao cruzamento onde seguirá à esquerda. Siga sempre na estrada principal até à fajã dos Vimes, cerca de 5 quilómetros. Chegando à Fajã dos Vimes estacione junto à Igreja onde se inicia o trilho.



Equipamento Recomendado

Calçado apropriado para caminhadas, impermeável, chapéu, protetor solar e água.



gallery_thumbnail
zoom in

Esta grande rota percorre, sensivelmente, metade da ilha, num percurso linear que liga a freguesia do Topo à Fajã dos Cubres, na costa norte, com uma extensão total de 39,2 quilómetros, atravessando a Área de Paisagem Protegida das Fajãs do Norte.

Este é um percurso que alterna entre o planalto da parte mais interior da ilha, onde nasceram os cones vulcânicos que geraram a ilha, com as vertentes escarpadas e muito altas que se despenham em pequenas áreas aplanadas ao nível do mar, resultando nas paisagens emblemáticas das Fajãs de São Jorge.

Este grande trilho apresenta-se dividido em duas etapas, de aproximadamente 25 quilómetros e 15 quilómetros, respetivamente. Deve planear o percurso, de acordo com a sua condição física, interesse e disponibilidade.

A Etapa 2 tem 15 quilómetros de extensão e liga a Fajã dos Vimes (costa Sul) e a Fajã dos Cubres (costa Norte).

Inicie a etapa num caminho de terra ascendente para a Serra do Topo, passando pelo cruzamento para a Fragueira. Opte pela direita até chegar à estrada alcatroada, permaneça à direita e transponha uma nascente conhecida por Fonte de Água Azeda. Poucos metros à frente, opte por um caminho à esquerda subindo a falésia por uma escadaria em pedra, geralmente sombreada por uma mata de incenso (Pittosporum undulatum).

Ao chegar a uma cancela, vire à esquerda e entre num caminho de terra ladeado de hortênsias (Hydrangea macrophylla) que termina na estrada regional, junto ao Parque Eólico do Pico da Urze. Prossiga até encontrar a indicação para a Fajã de Santo Cristo e siga por um caminho de terra descendente para a Caldeira de Cima. Atravesse a Ponte da Tia Júlia seguindo cuidadosamente (piso escorregadio) por um desvio à direita para a Cascata Pequena.

Prossiga até à fajã, passando por um miradouro, pelo Santuário do Senhor Santo Cristo e pelo Centro de Interpretação Ambiental. Neste local, pode visitar a Lagoa da Caldeira de Santo Cristo, zona classificada como Área de Paisagem Protegida das Fajãs do Norte, geossítio e local de interesse natural, cultural e paisagístico.

Continue junto à costa, passando pela Fajã do Belo, habitada até ao terramoto de 1980. A partir deste ponto, já é possível visualizar ao fundo a Fajã dos Cubres, local onde termina a etapa, junto à Igreja de Nossa Senhora de Lourdes.

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA