menu logo

tamanho do texto:

Caldeira do Faial

Reserva Natural

gallery_thumbnail
zoom in

Galeria

Localizada na freguesia dos Cedros e integrada numa área protegida com 313 hectares, a Caldeira do Faial constitui uma caldeira de colapso, com cerca de 2 quilómetros de diâmetro, implantada no topo do vulcão central da ilha, um edifício vulcânico com cerca de 400 mil anos.

É a mais jovem caldeira dos Açores (com cerca de 1000 anos) e exibe um pequeno cone de escórias no seu interior e um domo lávico de natureza traquítica junto à parede sudoeste, a Rocha do Altar. Junto ao bordo sul encontra-se o ponto mais alto da ilha, o Cabeço Gordo, com 1043 metros. No interior da caldeira existiu outrora uma lagoa permanente, resultante da acumulação de água das chuvas, a qual se infiltrou na sequência da crise sísmica de maio de 1958 associada à erupção do Vulcão dos Capelinhos (1957/58), dando origem a uma pequena explosão freática no interior da Caldeira.

Na Caldeira encontra-se cerca de dois terços da flora vascular endémica dos Açores, como as espécies Juniperus brevifolia (cedro-do-mato), Euphorbia stygiana stygiana (trovisco-macho), Sanicula azorica, Lactuca watsoniana (alfacinha) e Rumex azoricus (labaça-das-ilhas). A avifauna integra subespécies endémicas dos Açores como Fringilla coelebs moreletti (tentilhão), Sylvia atricapilla atlantis (toutinegra dos Açores) e Buteo buteo rothschildi (milhafre).

O acesso ao interior da Caldeira do Faial está condicionado pela Portaria n.º 68/2018, de 21 de junho, mas é possível percorrer o perímetro desta reserva através do trilho da Caldeira (PRC04FAI).

Esta área integra uma Zona Especial de Conservação (ZEC) e uma Zona de Proteção Especial (ZPE) no âmbito da Rede Natura 2000, está classificada como Sítio Ramsar ao abrigo da Convenção Ramsar e constitui um geossítio do Geoparque Açores – Geoparque Mundial da UNESCO.

Classificações:

Sítio RAMSAR

Rede Natura 2000

Geossítio

EDEN

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA