menu logo

tamanho do texto:

Ponta do Castelo

Área Protegida para a Gestão de Habitats ou Espécies

gallery_thumbnail
zoom in

Galeria

Com 137 hectares, a Ponta do Castelo é uma das geopaisagens mais importantes de Santa Maria, situada no extremo sudeste da ilha.

É o local dos Açores que apresenta mais habitats com características mediterrânicas dos quais se destacam as falésias com flora endémica das costas macaronésicas e a vegetação perene das praias de calhau rolado. Está, por isso, classificada como Zona Especial de Conservação (ZEC) no âmbito da Rede Natura 2000.

A Ponta do Castelo apresenta-se como um promontório rochoso sobre o mar, com cerca de 200 metros de altura, e exibe uma significativa geodiversidade, incluindo escoadas lávicas (subaéreas e submarinas), níveis de piroclastos, hialoclastitos e rochas sedimentares (ex. calcarenitos) com associações fossilíferas diversas. A presença de formações com disjunção prismática e esferoidal, uma disjunção radial nas lavas submarinas e diversos filões, completam esta diversidade.

O Farol de Gonçalo Velho e uma antiga fábrica da baleia, resultado da atividade de baleação ocorrida em Santa Maria até à década de 80 do século XX, fazem parte da história e paisagem construída deste local, onde ainda é possível observar antigas plataformas, tanques e casas de botes.

Merecem ainda especial destaque nesta área protegida, a jazida fóssil da Pedra que Pica e a disjunção prismática da Ribeira do Maloás. A primeira está situada a oeste da Ponta do Castelo e corresponde a uma acumulação massiva de fósseis de moluscos, equinodermes e outros organismos de ambientes marinhos costeiros. Na parte jusante do leito da Ribeira do Maloás, está presente uma exuberante geopaisagem, segundo um extenso afloramento de colunas basálticas com 15 a 20 metros de altura e uma extensão de cerca de 220 metros.

A Ponta do Castelo é um local privilegiado para observação de diversas espécies de flora endémica caraterísticas das zonas costeiras, tais como vidália (Azorina vidalii), erva-leiteira (Euphorbia azorica), bracel-da-rocha (Festica petraea), Spergularia azoria, Lotus azoricus e visgo (Tolpis suculenta).

Entre as espécies de avifauna, destacam-se o cagarro (Calonectris borealis), o frulho (Puffinus lherminieri baroli) e o painho da Madeira (Hydrobates castro), pelo que o local constitui uma Área Importante para as Aves e Biodiversidade (IBA – Important Bird and Biodiversity) da organização BirdLife International.

A área marinha é um ponto importante de passagem para o roaz (Tursiops truncatus) e a tartaruga-boba (Caretta caretta).  

Esta área é percorrida pela Grande Rota de Santa Maria (GR01SMA) e integra geossítios do Geoparque Açores – Geoparque Mundial da UNESCO, bem como jazidas fósseis de classe 1 do Paleoparque de Santa Maria.

Classificações:

Geossítio

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA