menu logo

tamanho do texto:

Ponta do Arnel

Área Protegida para a Gestão de Habitats ou Espécies

gallery_thumbnail
zoom in

Com 22 hectares, esta área desenvolve-se desde a Ribeira da Ponta do Arnel até à Ponta da Lomba da Cruz, incluindo uma faixa desde a beira-mar até ao rebordo da falésia.

A sua costa é linear, salientando-se apenas o bordo norte da Ponta do Arnel, caracterizada por altas escarpas alcantiladas de perfil quase vertical, recortadas por linhas de água e marginadas por blocos rochosos detríticos, resultantes do movimento de vertentes.

As suas falésias são importantes locais de nidificação de aves marinhas como Calonectris borealis (cagarro) e Puffinus lherminieri baroli (frulho), motivo pela qual esta área faz parte integrante da Área Importante para as Aves e Biodiversidade (IBA – Important Bird and Biodiversity Area) Faial da Terra e Ponta do Arnel da organização BirdLife International.

Devido à sua morfologia acidentada, as suas encostas mantêm alguma vegetação natural, com destaque para as espécies Festuca petraea (bracel-da-rocha), Morella faya (faia-da-terra), Erica azorica (urze) e Euphorbia azorica (erva-leiteira).

Em termos patrimoniais, destaca-se o Farol do Arnel, edificado nos finais do século XIX e inaugurado a 24 de novembro de 1876. Foi o primeiro farol a ser construído nos Açores, sendo constituído por uma torre prismática branca com 15 metros de altura. Ainda na Ponta do Arnel, é possível visitar o Porto da Vila do Nordeste, construído no século XVI por ordem do Rei D. João III, que inclui um cais de acostagem, rampa de varadouro e algumas casas de apresto.

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA