menu logo

tamanho do texto:

Costa Sul e Sudoeste

Área Protegida para a Gestão de Habitats ou Espécies

gallery_thumbnail
zoom in

Estendendo-se ao longo de cerca de 497 hectares no litoral sul e sudoeste da ilha, esta área, com uma altitude máxima de 550 metros, exibe arribas abruptas, alternadas com plataformas litorais (designadas por fajãs) originadas por derrames lávicos e/ou por materiais detríticos. 

Nas falésias costeiras a sudoeste afloram antigas formações geológicas, de origem submarina e com cerca de 2,5 milhões de anos, que se apresentam cobertas por formações geológicas de idade mais recente associadas ao vulcanismo subaéreo subsequente.

Destaca-se, a sul, a Ponta da Rocha Alta e a Fajã de Lopo Vaz que constituem fajãs detríticas resultantes do desmoronamento das altas e declivosas arribas adjacentes, tendo a formação da primeira ocorrido em 1980.

A fajã lávica das Lajes das Flores é constituída por derrames basálticos que atingiram o mar, formando-se uma ponta rochosa que se estende entre o farol e o Porto das Lajes.

Nos ilhéus e falésias inacessíveis estão presentes plantas endémicas como Daucus carota azoricus (salsa-burra), a Euphorbia azorica (erva-leiteira) e Festuca petraea (bracel-da-rocha).

Nesta área protegida nidificam importantes colónias de aves marinhas, com destaque para as espécies Calonectris borealis (cagarro), Sterna hirundo (garajau-comum) e Sterna dougallii (garajau-rosado).

É possível conhecer esta área protegida percorrendo os trilhos Lajedo - Fajã Grande (PR02FLO) e Fajã de Lopo Vaz (PRC04FLO) e a Grande Rota das Flores (GR01FLO).

Esta zona integra a Zona de Proteção Especial (ZPE) Costa Sul e Sudoeste no âmbito da Rede Natural 2000, um geossítio do Geoparque Açores – Geoparque Mundial da UNESCO e constitui uma Área Importante para as Aves e Biodiversidade (IBA) da organização BirdLife International.

Classificações:

Reserva da Biosfera

Rede Natura 2000

IBA

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA