menu logo

tamanho do texto:

Neptuno

Miradouro

gallery_thumbnail
zoom in

Galeria

Ocorreu, a 15 de fevereiro de 1986, aquela que é conhecida como a maior tempestade a ter assolado a ilha do Faial no século XX, com rajadas de vento que ascendiam aos 250 quilómetros por hora e com ondulação de 30 metros. Neste dia, quis o destino que José Henrique Azevedo (Peter) conseguisse fotografar na rebentação de uma onda, que atingiu os 60 metros de altura, nesta ponta do Monte da Guia, aquela que o próprio chamou de “a fotografia da sua vida”, a figura de Neptuno, o rei dos mares.

Segundo a mitologia Romana, Neptuno, que tem o mar como a sua morada, era conhecido pelo seu mau feitio e acessos de fúria que se traduziam em tempestades épicas. O facto de ter havido esta coincidência única de o Deus do mar se ter mostrado e se ter deixado fotografar durante uma intempérie sem memória, faz deste miradouro natural situado em plena paisagem protegida um local especial de homenagem ao mar.

Quer receber notícias nossas?

Respeita os termos do WCAG 2.00 AA