4.jpg

Ecotecas e Parques Naturais de Ilha assinalam a importância das Zonas Húmidas

charco pedro_miguel 

 

2 de Fevereiro, Dia Mundial das Zonas Húmidas

 

A Convenção das Zonas Húmidas de Importância Internacional, também conhecida como Convenção Ramsar por ter sido assinada nesta cidade iraniana, foi adotada no dia 2 de Fevereiro de 1971. Este dia tem sido assinalado desde 1997 pelo Secretariado Ramsar como o Dia Mundial das Zonas Húmidas para que as agências governamentais, organizações não-governamentais de ambiente e grupos de cidadãos possam ajudar a consciencializar o público sobre a importância e o valor das zonas húmidas.

Embora as zonas húmidas dos Açores constituam muitos dos ex-líbris paisagísti¬cos do Arquipélago, sendo notáveis no âmbito do panorama turístico regional, a sua importância está também relacionada com a prevenção de alguns problemas, como cheias e derrocadas, pelo que se considera de grande relevância o envolvimento das populações locais na conservação destas. Do conjunto das zonas húmidas açorianas foram oficial¬mente designados 12 sítios Ramsar, com uma área total de aproximadamente 13 mil ha.

Sendo o tema da comemoração para 2012 “Turismo em Zonas Húmidas”, o Governo Regional dos Açores, através da Rede Regional de Ecotecas dos Açores, abrangida pelos Parques Naturais de Ilha da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, assinala esta comemoração através de diversos eventos em todo o arquipélago:


TERCEIRA:
Em parceria com o Centro de Ciência de Angra do Heroísmo (CCAH), decorrerão no concelho da Praia da Vitória nos dias 2 e 3 de Fevereiro "As Jornadas dos Pauis", com sessões de interpretação ambiental com observação das aves migratórias. As inscrições devem ser feitas junto do CCAH ou da Ecoteca da Terceira.


GRACIOSA:
O Parque Natural de Ilha e o Centro de Visitantes da Furna do Enxofre vão realizar diversas atividades, entre elas, sessões de esclarecimento nos dias 2 e 3 de fevereiro, sobre o sítio RAMSAR da Ilha Graciosa, a Furna do Enxofre. O público-alvo será integrado por alunos do 9º, 10º, 11º e 12º ano da eco-escola E.B.S. da Graciosa. Estas sessões têm por objetivo sensibilizar os alunos para as funções e valores da zona húmida em questão, nomeadamente como habitat de espécies nativas e endémicas. Para além disso, também será salientada a importância do lago no interior da Furna do Enxofre, como um reservatório natural de água, que em tempos passados, serviu de fonte de abastecimento de água à população da Ilha. Tendo em conta que a Furna do Enxofre é o maior ponto de atração turística da ilha, serão referidos os procedimentos de segurança durante as visitas e explicado o fenómeno de libertação de CO2 que por vezes leva ao encerramento da Furna durante o verão.
Por fim, e também no âmbito das atividades Parque Aberto, às 14h do dia 4 de fevereiro, com o apoio do Serviço de Desporto da Graciosa, realizar-se-á a atividade Reviver o Passado, que consiste numa descida à Furna com o recurso a cordas, tal como se fazia antigamente. Os interessados em participar na descida devem inscrever-se junto do Parque Natural da Graciosa.


PICO:
Irá decorrer no Centro de Interpretação da Paisagem Protegida da Cultura da Vinha do Pico, às 10h do dia 2 de Fevereiro, uma sessão dirigida a operadores turísticos sobre “A importância das zonas húmidas e seu potencial turístico”, seguida de saída de campo à Zona Húmida do Planalto Central do Pico (Achada).


FAIAL:
No dia 1 de Fevereiro, terá início às 9h30m a Campanha regional “Um açoriano, uma planta endémica” , com a ação de plantação de árvores endémicas nos charcos de Pedro Miguel , realizada pelo Parque Natural do Faial com o apoio dos alunos e professores da Escola de Pedro Miguel.


SÃO MIGUEL:
Também no âmbito do programa Parque Aberto, o Parque Natural de São Miguel irá promover no dia 2 de Fevereiro uma palestra intitulada “Zonas Húmidas - Um ecossistema a preservar" para o público escolar na Escola Básica 2,3 da Maia, e no sábado dia 4 de Fevereiro às 9h30m um Passeio Pedestre Interpretativo no Complexo Vulcânico das Sete Cidades, para público em geral. O ponto de encontro será na Reserva Florestal de Recreio da Mata do Canário.


FLORES:
O Parque Natural das Flores vai assinalar esta data com a realização de duas atividades, que se encontram integradas no Programa Parque Aberto: um Workshop sobre Técnicas de Observação de Aves, que decorrerá no dia 2 de Fevereiro, pelas 19h30m, no auditório do Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão e uma saída de campo para observação de aves, que terá lugar no dia 4 de Fevereiro, sendo o ponto de encontro o Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão, pelas 10h00m. O local escolhido para a observação de aves encontra-se classificado como sítio RAMSAR - o Planalto Central das Flores (Morro Alto).


CORVO:
O Parque Natural do Corvo acompanhará os alunos do 1º Ciclo da ilha a visitarem a zona húmida do Caldeirão, para conhecerem a importância das turfeiras. O 2º Ciclo será convidado a fotografar as zonas húmidas, que irão compor uma exposição para o Centro de Interpretação Cultural e Ambiental do Corvo.


SÃO JORGE:
No dia 11 de Fevereiro às 15h, o Parque Natural de São Jorge realizará uma visita guiada interpretativa gratuita ao Centro de Interpretação da Caldeira de Santo Cristo, localizado na zona Ramsar dessa ilha.


SANTA MARIA
O Parque Natural de Santa Maria, também no dia 11 pelas 9h, organiza uma sessão de observação de aves migratórias na Ribeira de São Francisco e junto do aeroporto. Os interessados devem inscrever-se no Parque Natural de Santa Maria.

 

Para mais informações:
www.ramsar.org (Convenção Ramsar)
http://parquesnaturais.azores.gov.pt (Parques Naturais de Ilha dos Açores)