3.jpg

Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza realiza-se em 2019 nos Açores

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo revelou hoje, na Horta, que o Encontro Nacional de Vigilantes da Natureza vai decorrer na ilha Terceira, no início de 2019, em simultâneo com o encontro regional.

"Este será mais um momento para evidenciarmos as particularidades ambientais de todo o arquipélago num contexto nacional, o que, mais uma vez, mostra a importância e o peso que os Açores têm no que diz respeito ao seu território", afirmou Marta Guerreiro, que falava na sessão de abertura do IV Encontro de Vigilantes da Natureza dos Açores.

A titular da pasta do Ambiente destacou o papel "imprescindível" dos Vigilantes da Natureza que, "diariamente, enfrentam os novos problemas e desafios que a gestão e conservação da natureza e a preservação da qualidade ambiental nos impõem".

"Nas prioridades estratégicas do Governo dos Açores está a aposta na valorização da qualidade ambiental e no uso sustentado dos recursos naturais, através de uma verdadeira conservação da natureza que cabe, e muito, aos Vigilantes", frisou.

Marta Guerreiro salientou que estes são os ativos que se encontram "na primeira linha de deteção e resolução de problemas ambientais", ao mesmo tempo que são responsáveis por "atividades de educação e sensibilização, quer seja em escolas ou, simplesmente, nas informações que prestam sobre as áreas protegidas".

Na sua intervenção, adiantou que, a partir de hoje, todos os Vigilantes da Natureza passam "a dispor de equipamentos móveis (do tipo smartphone) com caraterísticas para trabalho em ambiente natural", permitindo "desmaterializar todos os formulários de vistorias, relatórios técnicos e autos de notícia, que passam a ser elaborados através de uma aplicação digital, que permite também o preenchimento em ambiente fora da rede".

Para além deste investimento, a Secretária Regional salientou a "implementação do sistema integrado de comunicações dos Serviços de Ambiente", que será instalado em três fases.

A primeira fase, de imediato, abrangendo Faial, Pico e São Jorge, a segunda fase, em setembro, em São Miguel, e a terceira, em janeiro de 2019, chegando às restantes ilhas do arquipélago.

"Com este sistema, torna-se possível aumentar a capacidade operativa do corpo de Vigilantes da Natureza e da generalidade dos serviços da Direção Regional do Ambiente, cobrindo todo o território terrestre da Região", afirmou a Secretária Regional.

Atualmente, o corpo de Vigilantes da Natureza é composto por 34 elementos, estando em fase final os procedimentos para a admissão de mais um vigilante para as Flores e cinco para São Miguel.

"Terminado todo este processo, teremos um significativo acréscimo do efetivo em 25%", frisou Marta Guerreiro, acrescentando que "consta do mapa de recrutamento para 2018 a abertura de concurso para mais quatro Vigilantes da Natureza", dos quais dois para a Terceira, um para São Jorge e um para o Pico.

"O Governo dos Açores assume uma opção clara de investimento no reforço do corpo de Vigilantes da Natureza, bem como na sua capacitação e equipamento", garantiu Marta Guerreiro, dando ainda nota das recentes alterações dos seus uniformes, bem como da aquisição de viaturas elétricas para cada Parque Natural de Ilha.

"À luz do que temos vindo a fazer nas últimas duas semanas, primeiro no Pico e depois na Terceira, hoje entregamos ao Parque Natural do Faial a sétima viatura elétrica, que chegarão a todas as ilhas até ao final deste ano, faltando agora apenas a Graciosa e o Corvo", afirmou a governante.

GaCS/HMB

 182562 red