4.jpg
Vasco Cordeiro desafia jovens a assumirem a responsabilidade de “cuidar do que é nosso”

 

165033-20200303-141002

O Presidente do Governo desafiou hoje, na ilha de Santa Maria, os jovens Açorianos a envolverem-se em iniciativas de preservação do património ambiental da Região, como forma de assumirem, cada vez mais, a consciência de que é uma responsabilidade de todos “cuidar do que é nosso”.

“Esta ideia de cuidar do que é nosso tem a ver com a necessidade de zelarmos por este património ambiental que é de todos e que, por isso, depende, em primeiro lugar, de cada um defendê-lo”, afirmou Vasco Cordeiro, que falava na apresentação do programa Vigilante da Natureza Júnior aos alunos da Escola Básica e Secundária de Santa Maria.

No segundo dia da visita estatutária do Executivo açoriano a esta ilha, o Presidente do Governo adiantou que uma das formas desse envolvimento passa pela participação neste programa, que é destinado aos alunos das escolas da Região, com idades entre os 8 e os 15 anos.

Vasco Cordeiro considerou ainda que o programa Vigilante da Natureza Júnior tem a ver, por outro lado, com a sustentabilidade que permita garantir que, no futuro, a Região terá cidadãos cada vez mais conscientes da responsabilidade de cumprir este objetivo de “cuidar do que é nosso”.

“É outro tipo de sustentabilidade, que pretende garantir que, no futuro, temos cada vez mais Açorianos conscientes que essa tarefa exige de todos nós essa responsabilidade”, afirmou o Presidente do Governo.

Segundo disse, a Região tem implementado diversas iniciativas ligadas à preservação e sensibilização ambiental, apontando o exemplo do programa Eco-Escolas, que conta já com uma taxa de 30 por cento de participação dos estabelecimentos de ensino da Região, que é quase o dobro da taxa nacional, que se fixa nos 17%.

O programa Vigilante da Natureza Júnior dos Açores pretende fomentar nos jovens o interesse e a participação na preservação ambiental, bem como na divulgação e valorização da atividade profissional dos Vigilantes da Natureza dos Açores, dando a conhecer, de perto e no terreno, as ações que estes profissionais desenvolvem no dia a dia.


GaCS/PC
Foto: GaCS/JAR