2.jpg
Governo dos Açores encerra Centros Ambientais e Monumentos Naturais até 31 de março

 

O Governo dos Açores determinou o encerramento ao público de todos os Centros Ambientais e Monumentos Naturais da Região a partir de hoje e até ao dia 31 de março.

Esta medida enquadra-se na monitorização permanente que está a ser feita à evolução da pandemia COVID-19 e ao abrigo do estado de alerta que está em vigor na Região Autónoma dos Açores.

A rede de Centros Ambientais dos Açores é composta por duas dezenas de infraestruturas em todas as ilhas, nomeadamente o Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão, nas Flores, o Centro de Interpretação de Aves Selvagens do Corvo, o Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, o Jardim Botânico do Faial, o Complexo do Monte da Guia (Casa dos Dabney e Estação de Peixes Vivos/Aquário do Porto Pim), o Centro de Interpretação da Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, o Centro de Visitantes da Gruta das Torres, a Casa da Montanha e a Casa dos Vulcões.

Esta rede integra ainda o Centro de Interpretação da Fajã da Caldeira de Santo Cristo, a Casa do Parque de São Jorge, o Centro de Visitantes da Furna do Enxofre, o Centro de Interpretação da Serra de Santa Bárbara, a Loja do Parque de Angra do Heroísmo, o Centro de Monitorização e Investigação das Furnas, o Centro de Interpretação da Cultura do Ananás, o Centro de Interpretação Ambiental da Caldeira Velha, a Loja do Parque da Lagoa das Sete Cidades, a Casa dos Fósseis e o Centro de Interpretação Ambiental Dalberto Pombo.

Foi decretado ainda o encerramento aos visitantes, no mesmo período, dos monumentos naturais do Algar do Carvão, na Terceira, da Gruta do Carvão, em São Miguel, e da Fábrica da Baleia do Porto Pim, no Faial.

Todas as atividades integradas nos programas Parque Aberto e Parque Escola de todas as ilhas foram adiadas para data posterior a 31 de março.

Foto: PHSilva // siaram.azores.gov.pt

GaCS/DRA22